quarta-feira, 3 de março de 2010

Guaianases recebe Caps especializado em dependência química

Caps - Álcool e Drogas Guaianases

A população da Zona Leste ganhou mais um serviço especializado em saúde mental e dependência química. Trata-se do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) Álcool e Drogas Guaianases, que foi inaugurado na última terça-feira (02/03) pelo prefeito de São Paulo. Antiga reivindicação dos moradores, a nova unidade atenderá pessoas portadoras de transtornos decorrentes de uso e dependência de álcool, tabaco e outras drogas.

O Caps Guaianases foi implantado em parceria com a Organização Social de Saúde Santa Marcelina, responsável pela administração do local.

A nova unidade oferece assistência integral, com atendimento individual (medicamentoso, psicoterápico, de orientação e outros) e em grupo (psicoterapia, grupo operativo, atividades de suporte e social). A prestação de serviço inclui atividades em oficinas terapêuticas, visitas domiciliares às famílias, atendimento de desintoxicação e atividades comunitárias enfocando a integração e a inserção familiar e social.

A equipe é formada por médicos psiquiatras, clínico geral, psicólogas, assistente social, terapeutas ocupacionais, farmacêutico, técnico de farmácia, enfermeiras, auxiliares de enfermagem, oficineiro, além de assistentes e auxiliares administrativos. O Caps Álcool e Drogas de Guaianases tem capacidade para realizar cerca de 1.100 atendimentos médicos/mês.


Evitar as internações

A finalidade dos Caps é evitar as internações psiquiátricas e promover a inserção dos pacientes na sociedade. Os Caps oferecem um atendimento multidisciplinar aos usuários, tanto na vida pessoal como social.
Os pacientes chegam aos Caps encaminhados por hospitais psiquiátricos e pelas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). As pessoas que forem espontaneamente ao local também são avaliadas e, posteriormente, atendidas.

Local:
O Caps Álcool e Drogas Guaianases está instalado na rua Professor Francisco Pinheiro, 139 - Vila Princesa Isabel.
O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h.



O que são os Caps

Unidades destinadas ao acompanhamento de pessoas portadoras de transtornos mentais severos e persistentes, os Caps seguem a política nacional de desospitalização e oferecem, além de tratamento clínico, psiquiátrico, atenção multidisciplinar e atividades comunitárias que visam a reintegrar o paciente ao convívio familiar e social. O trabalho é desenvolvido por equipe multiprofissional em uma perspectiva interdisciplinar, com abordagem individual ou em grupo.

Cornetado por:Bianca Souza

6 comentários:

  1. Guaiananzes estava precisando mesmo , sou voluntario em uma casa de recuperação em biritiba mirim ,moro em guaianazes é bom saber que tem pessoas preocupadas com as pessoas que estão sofrendo com as drogas .
    cASO PRECISE DE INERNAÇÃO ESTAMOS A DISPOSIÇÃO PARA PESSOAS QUE NECESSITAM DE INTERNAÇÃO.

    ResponderExcluir
  2. Antonio meu nome e Marcelo sou viciado em crack tenho 36 anos sou vigilante e estou a procura de ajuda ou seja internaçao frequentei pouco tempo o caps mas n vi diferença pretendo voltar mas o que eu queria mesmo era me internar desde ja fico grato meu email e maickesouza@gmail.com as vezes tenho vontade de me matar e n tenho disposiçao se quer para trabalhar sou casado e tenho duas filhas lindas minha esposa faz o que pode mas tudo de mas enjoa preciso de ajuda urgente

    ResponderExcluir
  3. Tenho 26 anos, sou viciado em crack e coaína, tive a experiência de um internação de 4 meses, em uma clínica de recuperação no interior do estado, foi onde tive maior sucesso em relação a recuperação, mais após o término do tratamento não dei continuidade as terapias de grupo e outros trabalhos ocupacionais, resultado consegui 2 meses de sobriedade e voltei ao uso, logo após tentei tratamento ambulatorial, não tive muito sucesso,moro em Guaianases e pela internet, fiquei sabendo das instalações e dos serviços prestados, me interessa muito conhece-los, e sa ber como posso fazer parte.

    ResponderExcluir
  4. Como é difícil se livrar de um vício, consigo ficar um tempo afastado, mais sempre volto, já não sei se é falta de vergonha, ou isso está no meu consciente, já não sei mais o que é, tenho muito fé em Deus e acredito que também seja um problema espiritual,enfim é um fardo muito pesado de se carregar, meu dia-dia é muito difícil é uma luta constante, tenho tanto medo de magoar minha família mais do que magoei, isso é muito triste, não deveria ser assim, porque tanta destruição e sofrimento, Deus tenha misericórdia.

    ResponderExcluir
  5. Meu nome é Eliane,eu tenho uma irmã que sofre de transtorno bipolar ela é casada e tem dois filhos,uma menina de 4 anos e um menino de 2 meses ela recebeu encaminhamento para passar no caps fico feliz de saber que tem um aqui perto de onde nos moramos

    ResponderExcluir
  6. queria uma internacao para meu irmao mas n tenho condicoes de pagar como eu faco e eu queria leva lo a forca.me ajudem ta muito dificil.obrigado

    ResponderExcluir